Crise ucraniana: jogadores brasileiros de futebol pedem ajuda depois da invasão da Rússia

Um grupo de jogadores brasileiros de futebol pediram ajuda para saírem da Ucrânia depois da Rússia ter invadido o país – incluindo o Junior Moraes do Shakhtar Donetsk’s.

Quer entender melhor o que aconteceu? Permaneça com a gente aqui, no Rádio Mundial FM, então!

crise na Ucrânia

Crise na Ucrânia: invasão russa gera transtornos no território ucraniano

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, coordenou uma invasão militar no território ucraniano, em 24 de fevereiro de 2022.

Um grupo de, aproximadamente, 20 brasileiros – incluindo os jogadores de futebol e seus familiares –, estão em um hotel em Kyiv. Eles falaram que ficaram presos porque não tinham como sair da Ucrânia para voltar para casa. Moraes, de 34 anos, intensificou dizendo: “a situação é de desespero”.

Esse grupo postou um vídeo nas redes sociais, e Moraes acrescentou: “As fronteiras estão fechadas e os bancos também. Não há combustível, vai faltar comida e não há dinheiro. Estamos juntos esperando um plano para conseguirmos deixar a Ucrânia”. O jogador ainda deixou outra mensagem em seu perfil do Instagram, onde dizia: “Amigos e familiares, a situação é grave e estamos presos em Kyiv esperando uma solução para podermos sair!”. Moraes também pediu para que orassem por eles.

Moraes e outros jogadores que estavam presos no hotel em Kyiv

Junior Moraes já é considerado um cidadão ucraniano – e já tem 11 internacionalizações devido a sua seleção. O jogador nasceu e deu início a sua carreira no Brasil – no Santos. Nos últimos 10 anos, esteve jogando na Ucrânia.

Vitinho, do Dínamo Kyiv, e Marlon Santos, o companheiro da equipe do Shakhtar Donetsk, também apareceram no vídeo, onde eles pediam ajuda ao Governo Federal do Brasil.

O embaixador do Brasil na Ucrânia, Norton Rapesta, falou à BBC Brasil que iriam evacuar os brasileiros e todos os jogadores de futebol do país. Além disso, o retorno da liga nacional de futebol da Ucrânia – que estava programada a retornar no final de semana depois da pausa de inverno, entre os dias 26 e 27 de fevereiro – foi suspenso.

Por que a Rússia invadiu a Ucrânia?

A invasão no território ucraniano foi motivada pelo avanço da Otan no leste europeu, além de questões geopolíticas que envolviam os dois países.

Esse acontecimento remete ao passado histórico entre as duas nações, incluindo as relações territorial, cultural e política. As tensões foram intensificadas no final de 2021, conforme a possibilidade de a Ucrânia ingressar na Otan aumentava.

Isso significa que, quanto maior for a aproximação ucraniana do ocidente, menor vai ser a influência da Rússia sobre o país. A crise política na Ucrânia depois da suspensão das negociações com a EU, assim como a questão da Crimeia, também induziram a invasão no território.

Como consequência, uma grande onda de refugiados ucranianos, centenas de mortos e feridos e sanções econômicas, a fim de enfraquecer o setor econômico, contra a Rússia e outros membros do governo.

Contexto histórico entre a Rússia e a Ucrânia

As áreas correspondentes aos dois países e ao Belarus foram ocupadas, antigamente, por povos de mesma etnia – conhecidos como primeiros eslavos ou Rus. Em meados do século XVIII, iniciou-se a incorporação de uma parte do território ucraniano através do Império Russo, expandindo-se por várias regiões do oeste ao sul do país – incluindo a Crimeia.

Em 1922, o país passou a ser considerado parte da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS), depois da sua independência. Ao longo de toda a Guerra Fria, Ucrânia fez parte da URSS – tornou-se independente em 1991.

Em 1954, a península da Crimeia foi concedida a Ucrânia – sendo que, até então, pertencia ao território russo. Quase 60 anos depois, essa área retorna ao domínio da Rússia e causa uma grande crise diplomática e geopolítica na Ucrânia – que ficou conhecida como questão da Crimeia, desenrolando-se até o conflito atual.