A história do rádio

Você já deve ter se perguntado como que um rádio foi criado e como ele realmente funciona. Para entendermos a história do rádio, precisamos voltar para 1895 – quando o primeiro aparelho de comunicação de rádio de longa distância foi criado.

Quer saber o que é um rádio, quem foi o grande desenvolvedor desse aparelho e como ele funciona? Então, para descobrir, fique com a gente até o final aqui, no Rádio Mundial FM.

a história do rádio

O que é um rádio?

A tecnologia de sinalização e comunicação por meio do uso de ondas de rádio define o que é um rádio. As ondas são eletromagnéticas, com frequências oscilando entre 30 Hz (hertz) e 300 GHz (gigahertz).

Para serem geradas, é necessário utilizar um transmissor conectado à uma antena. As ondas emitidas vão ser recebidas por uma outra antena, mas que – dessa vez – está conectada a um receptor de rádio.

O rádio é bastante utilizado na tecnologia nos dias atuais, incluindo na comunicação de rádio, radar, controle remoto, navegação por rádio (radio navegação), entre tantos outros, com diferentes finalidades em cada um desses modelos citados.

Por exemplo, na comunicação por rádio, a transmissão é realizada em rádio, televisão, telefones celulares, redes de fios, comunicação por satélite e muito mais.

Entenda como tudo começou

Era novembro de 1986 quando Heinrich Hertz, um físico alemão, comprovou – pela primeira vez – a existência de ondas de rádio.

Em 1895, o primeiro aparelho para comunicação de rádio de longa distância foi criado – o responsável foi Guglielmo Marconi, inventor e engenheiro elétrico natural da Itália. Ele conseguiu mandar uma mensagem sem fio em código Morse em uma distância superior a um quilômetro. Alguns anos depois, em 1901, Marconi enviou o primeiro sinal transatlântico.

Em novembro de 1920, 66 anos depois da comprovação das ondas de rádio, a primeira transmissão de rádio comercial foi realizada.

O órgão União Internacional de Telecomunicações (UIT) é responsável por coordenar a emissão de ondas de rádios, a qual é regulamentada por lei, determinando faixas de frequências no espectro radioelétrico para finalidades distintas.

Como as ondas de rádio funcionam?

As ondas de rádio são geradas de maneira artificial por cargas elétricas que variam no tempo, compostas por elétrons que se movimentam para frente e para trás em um condutor de metal, a qual denominamos como “antena”, acelerando o processo. Em outras palavras, as ondas de rádio são emitidas por cargas elétricas em aceleração.

Então, um transmissor cria uma corrente alternada de radiofrequência e a antena irradia a potência dessa corrente como ondas de rádio. Ao atingirem a antena de um receptor de rádio, tais ondas empurram os elétrons no metal e induzem uma pequena corrente alternada. Esse receptor vai detectar a corrente oscilante e a amplificará.

Quando mais longe as ondas de rádio estiverem da antena transmissora, menor vai ser a intensidade do sinal. Sendo assim, sabemos que as transmissões de rádio têm alcance limitado. Todavia, as características dos aparelhos de transmissão e recepção das ondas de rádio variam – como a distância de alcance, o padrão de radiação, a sensibilidade do receptor, entre outras.

As ondas de rádio viajam no vácuo em uma velocidade semelhante à da luz – isto é, muito rápido. O comprimento de onda e a distância em metros é inversamente proporcional à sua frequência.

Existem outros tipos de ondas eletromagnética, como o infravermelho e os raios-X. Essas ondas conseguem transportar informações e são usadas, também, para comunicação. Entretanto, as ondas de rádio são muito usadas em telecomunicações porque as suas propriedades de propagação são mais apropriadas para tal situação – conseguindo viajar pela atmosfera em qualquer clima, folhagem e em quase todos os tipos de materiais de construção, curvando-se diante de obstruções.